ONCOLOGIA

O câncer é um dos maiores problemas de saúde do Brasil. Em 2016, foram apresentados 596 mil novos casos de câncer no país, sendo próstata, pulmão e colo-retal de maior incidência nos homens, e, mama, colo-retal e colo de útero nas mulheres, com exceção do câncer de pele não melanoma. Nos últimos anos, houve um grande avanço no conhecimento e na informação da população sobre o câncer, assim como os efeitos e os sintomas que a doença e seu tratamento podem ocasionar.

Tratamento

Atualmente, o foco para o tratamento do câncer deixa de ser somente a cura e o controle da doença, visa também a melhora da qualidade de vida e do bem-estar do paciente durante e após o tratamento.

A Fisioterapia Oncológica tem como objetivo preservar, manter, desenvolver e restaurar a integridade funcional de órgãos e sistemas, assim como prevenir os distúrbios causados pelo câncer e seu tratamento. Desse modo, atua na manutenção da qualidade de vida mostrando ao paciente a necessidade de retomar suas atividades diárias e oferecendo condições para isso.

Bem-estar

Quais pacientes podem se beneficiar com a fisioterapia?

A fisioterapia é indicada para todos os pacientes com câncer, independentemente do seu diagnóstico. Atua no tratamento de diversos sintomas, sejam eles causados pelo tipo de tumor e sua localização, ou pelo tratamento adotado, que pode ser cirúrgico ou clínico (quimioterapia, terapia alvo, hormonioterapia e radioterapia).

Dentre os principais sintomas, podemos destacar: cansaço (fadiga) e fraqueza muscular, dor, edema corporal, falta de ar (dispnéia), linfedema de membro inferior, linfedema pós-mastectomia, restrição de movimento do braço pós-mastectomia, fibrose e aderência tecidual, incontinência urinária e neuropatia induzida por quimioterapia.

Assim, o programa de reabilitação será baseado nas queixas do paciente podendo ter um ou mais objetivos, como: manter o alongamento e a força muscular dos segmentos corporais, auxiliar no controle da dor, prevenir e tratar edemas, manter e melhorar a função pulmonar, recuperar a funcionalidade do braço pós-mastectomia, melhorar a integridade da pele e da cicatriz, recuperar a função urinária e melhorar a sensibilidade de pés e mãos.

O tratamento tem início no diagnóstico da doença e pode se estender após o término do tratamento oncológico. Desta forma, o fisioterapeuta acompanha o paciente durante todos os processos do tratamento, podendo prevenir e tratar as alterações e complicações quando presentes, a fim de restaurar a funcionalidade e promover uma melhor qualidade de vida.

Fisioterapia

"Mãos que doam, mãos que cuidam, mãos que mudam a vida de muita gente!"